Endereço

Av. Indianópolis, 1287 - Planalto Paulista
CEP 04063-002 - São Paulo - SP

Telefone

A tontura é um sintoma presente em diferentes quadros de saúde e pode se manifestar com mais frequência nos pacientes com ansiedade. Alterações psicológicas como a ansiedade podem facilitar a ocorrência dessa queixa.

Os sintomas de uma crise de tontura relacionada à ansiedade podem ser semelhantes aos de uma tontura associada a outros problemas de saúde, como as doenças do labirinto. Neste artigo, vamos falar mais sobre tontura, ansiedade e como essas queixas podem estar associadas. Acompanhe!

O que é a tontura?

A tontura geralmente é definida como uma alteração do equilíbrio corporal ou dificuldade de manter a postura do corpo, associada com sintomas que podem incluir desequilíbrio, instabilidade, sensação de flutuação ou sensação rotatória (vertigem). Muitas vezes, o sintoma é acompanhado de mal-estar e outras manifestações como escurecimento visual ou náuseas.

Por ser um sintoma complexo, as causas para os quadros de tontura são muito variadas e podem incluir problemas na orelha interno (labirinto), metabólicos, hormonais, neurológicos ou cardiovasculares.

De modo geral, a tontura é muito comum nos pacientes idosos. Porém, também pode ocorrer em pessoas jovens. Em todo caso, deve ser investigada com um médico para se chegar ao diagnóstico correto, principalmente se os episódios se tornarem frequentes.

Tontura relacionada à saúde mental

As apresentações dos problemas de saúde mental são muito variadas e as pessoas com perfil ansioso podem experimentar sensações de tontura persistente. Essa situação pode comprometer o controle postural, e promover tontura e ansiedade presentes depois de uma doença ou evento traumático.

A ansiedade pode piorar em períodos de maior demanda cognitiva ou emocional. Nesses períodos de crise e intensificação dos sintomas, podem ocorrer crises de ansiedade intensa, como as percebidas pelos pacientes com transtorno do pânico. Alguns pacientes podem apresentar tontura ou vertigem durante essas crises. Ademais, os quadros emocionais podem ainda funcionar como gatilhos para a piora de outros problemas, como a enxaqueca ou as síndromes depressivas.

Uma nova pesquisa feita na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) sugere que uma explicação para os casos em que a tontura é persistente, mesmo após a doença labiríntica ter sido compensada, pode ser a atividade exacerbada de partes do sistema nervoso central relacionadas à ansiedade e ao medo.

A pesquisa ainda está em andamento, mas um dos estudos já concluídos e que foi publicado no Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, revelou que os pacientes apresentam um perfil considerado limítrofe para ansiedade e depressão.

Afinal, o que é a ansiedade?

A ansiedade é definida como “uma emoção caracterizada por sentimentos de tensão e preocupação, acompanhados de mudanças físicas no organismo” e acredita-se que até 3,6% da população adulta irá experimentar algum transtorno de ansiedade durante a vida.

A ansiedade, ou transtorno de ansiedade, está relacionada à saúde mental e possui uma carga de medo excessiva, causando prejuízos e limitações na vida do paciente, com impactos até mesmo nas obrigações do dia a dia.

Nestes casos, existem sintomas emocionais como:

  • Preocupação excessiva.
  • Pensamentos acelerados.
  • Dificuldade de relaxar.
  • Dificuldade de concentração.
  • Preocupação exagerada em relação à realidade.

E sintomas físicos:

  • Suor excessivo.
  • Sensação de pânico.
  • Dificuldade de respirar.
  • Aceleração dos batimentos cardíacos.
  • Tensão muscular.

Quando procurar ajuda?

Ansiedade, depressão ou qualquer outra doença que afete a saúde mental deve ser avaliada pelo psicólogo e psiquiatra, inclusive com as duas especialidades trabalhando em conjunto. Porém, quando os sintomas físicos se tornarem recorrentes e cada vez mais intensos, principalmente a tontura, uma avaliação complementar pode ser necessária.

Neste caso, o otorrinolaringologista pode ajudar. Ele poderá avaliar cada caso em particular e indicar o melhor tratamento para o problema, que pode ser medicamentoso e incluir algumas mudanças de hábitos. Além disso, em algumas situações, o auxílio de profissionais de outras especialidades é requisitado.

COMPARTILHE:

2 respostas para “Tontura pode ser um sintoma de ansiedade?”

  1. Ingrid Wendland Santanna disse:

    Parabéns! Avaliação com novo olhar para os casos que são um desafio! Tontura persistente! Excelente campanha e acompanhei várias lives.

  2. wilson Alves disse:

    Tenho sintomas de tontura e gostaria de uma consulta com o Dr. Mario E, Gretes, porém não consigo o contato dele, poderia me ajudar?

    Grato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Língua presa: saiba o que é e como pode ser tratada